Saltar para o conteúdo principal da página

Exposições Entre 12 de outubro e 7 de janeiro

Rembrandt. Elos Perdidos Rijksmuseum e Coleções Reais da Holanda

Estará patente entre os dias 12 de outubro e 7 de janeiro, na sala do tecto pintado do Museu Nacional de Arte Antiga, em Lisboa, a exposição Rembrandt. Elos Perdidos.

Organizada por ocasião da visita de Estado a Portugal de Suas Majestades o Rei e a Rainha dos Países Baixos, esta exposição foi concebida como um díptico. De um lado, assinalando a colaboração do Rijksmuseum, é exposta uma paisagem de um dos mais célebres artistas holandeses, Rembrandt van Rijn (1606-1669), tema raro na sua prolixa produção. Do outro, surge um conjunto de obras provenientes das prestigiosas Coleções Reais, onde se entrecruza a relação com Portugal. 


Aliam-se, aqui, os notáveis retratos de Leonor de Áustria (Rainha de Portugal pelo seu casamento com Dom Manuel I, antes de ser Rainha de França) e de seu irmão, o Imperador Carlos V, por Joos van Cleve, aos das princesas Sabina Délfica e Leonor Maurícia de Portugal, de Gerard van Honthorst, fruto de uma particular união dinástica entre os dois reinos, da qual se expõe também importante documentação. Assim se recuperam elos de uma cadeia que a memória histórica dispersou. 

Das coleções do Museu Nacional de Arte Antiga a mostra conta com um invulgar desenho de Rembrandt, cujo tema é também a paisagem, e com um retrato de Dona Leonor, do mesmo Joos van Cleve, dialogando com as obras vindas da Holanda.

Organização:
MNAA/DGPC
Local:
Sala do Tecto Pintado, Museu Nacional de Arte Antiga, Lisboa