Saltar para o conteúdo principal da página

Concertos 18 de fevereiro, às 21h00

Temporada Barroca| La Serva Padrona

No dia 18 de fevereiro, às 21h00, o Museu Nacional de Arte Antiga acolhe mais um concerto da Temporada Barroca - La Serva Padrona, pela Orquestra Metropolitana de Lisboa

O concerto realiza-se no Hall 9 de abril

Entrada paga.

«A criada patroa» é uma comédia simples e divertida, com recursos mínimos, um desfecho previsível e que não esconde afinidades com a commedia dell’arte. Coloca em cena dois cantores, nos papéis deUberto Serpina, e um ator, o criado mudo Vespone. Em tom satírico, tudo se resume à astúcia das personagens oriundas do povo e ao seu triunfo sobre a avareza da burguesia.

Na origem, consistia num intermezzo que Giovanni Battista Pergolesi compôs para um dos intervalos da récita da sua ópera séria Il prisioneiro supremo, em 1733, na cidade de Nápoles. Vinte anos mais tarde, muito depois da sua morte, foi representada em Paris e desencadeou a Querelle des bouffons, a histórica discussão que dividia os partidários da tradição lírica francesa, mais artificiosa, e os defensores da frugalidade do estilo italiano. Entretanto, passaram quase três séculos e a questão já não se coloca. É uma das óperas cómicas mais celebradas nos palcos líricos de todo o mundo.

 

Neste concerto, a função de prelúdio é cumprida por um dos concertos grossos Op. 6 de Händel, que, por sinal, foram compostos para preencher os intervalos das suas oratórias.

G. F. Händel Concerto Grosso em Lá Maior, Op. 6/11, HWV 329

G. B. Pergolesi La serva padrona, Intermezzo em dois atos
 

Solistas Jorge Vaz de Carvalho Uberto, Sara Afonso Serpina, Miguel Martins Vespone


Direção Cénica e Vocal Jorge Vaz de Carvalho

Direção Musical Ana Pereira

Organização:
MNAA/DGPC; OML
Local:
Museu Nacional de Arte Antiga, Lisboa