Saltar para o conteúdo principal da página

Concertos 12 de julho, às 19h00

3º Ciclo Músicas do Acervo | Compositores Portugueses e seus Contemporâneos

É objectivo da terceira temporada do ciclo de piano “Músicas do Acervo: Compositores Portugueses e seus Contemporâneos” a divulgação e valorização do repertório da música erudita portuguesa, bem como a sua contextualização nas estéticas musicais ocidentais dos séculos XIX e XX, tendo por base a colecção de partituras do Museu Nacional da Música.

O ciclo realizar-se-á entre os meses de março e julho de 2019, com a apresentação de 8 pianistas nacionais e internacionais.

Próximo concerto:

12 de julho, às 19h00 - Nuno Cardoso, violoncelo | Duarte Pereira Martins, piano

Compositor em destaque: Armando José Fernandes


PROGRAMA:


Claude Debussy (1862-1918) |

Sonata para Violoncelo e Piano, n.º 1, em Ré menor
I. Lent
II. Modérément animé
III. Finale: Animé

Beau Soir


Sergei Rachmaninov (1873-1943) | *

Não cantes, beleza minha, op. 4 n.º 4
Que belo este lugar, op. 21 n.º 7
Vocaliso, op. 34 n.º 14


Alexander Scriabin (1872-1915) |

Romance, para trompa e piano


Armando José Fernandes (1906-1983) |

Sonata para Violoncelo e Piano
I. Assai animato
II. Scherzo e Trio
III. Adagio, con ampia espressione
IV. Allegro non troppo


*arranjo para violoncelo e piano pelos intérpretes

CURRÍCULOS

Nuno M. F. Cardoso (nunomc@mpmp.pt ) nasceu em Lisboa e iniciou os estudos de violoncelo na Fundação Musical dos Amigos das Crianças com Estêvão da Silva e Luís Sá Pessoa. Licenciou-se, em 2014, pela Academia Nacional Superior de Orquestra na especialidade de Violoncelo, onde estudou sob a orientação de Paulo Gaio Lima. Paralelamente, frequentou a Licenciatura em Matemática na Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa. Em Portugal e no estrangeiro, tem beneficiado de masterclasses com reconhecidos mestres, como Márcio Carneiro, Xavier Gagnepain, Hans Jørgen Jensen, Jan-Erik Gustafsson ou Rainer Zipperling. No domínio da música de câmara tem trabalhado com Paul Wakabayashi, Paulo Pacheco, Olle Sjöberg e Hans Pålsson. Co-fundador do MPMP – Movimento Patrimonial pela Música Portuguesa, é membro da Comissão de Redacção da revista Glosas. Tem vindo a afirmar-se o duo que mantém com o pianista Duarte Pereira Martins, salientando-se os recitais nos ciclos Um Músico, um Mecenas, no Museu Nacional da Música, em Lisboa, nos violoncelos históricos de H. Lockey Hill (ca. 1800, Colecção Suggia) e J. J. Galrão (1769, Colecção Real), actualmente conservados naquela colecção instrumental, e também recitais na Suécia e na Dinamarca. Na Suécia, trabalhou interpretação de música barroca com Peter Spissky, direcção orquestral com Patrik Andersson e efectou os estudos de Mestrado em Violoncelo na Musikhögskolan i Malmö da Universidade de Lund, na classe de Torleif Thedéen.

Duarte Pereira Martins – duarte.pmartins@gmail.com
Licenciado em piano pela ESML, concluiu o curso do Conservatório Nacional com a classificação máxima. Premiado desde o início do seu percurso musical em diversos concursos de piano, apresenta-se regularmente em concerto por todo o país, em diversas formações, com destaque para a divulgação do património musical português. É de notar a importância que dá às obras de compositores contemporâneos, tendo já apresentado estreias de João Pedro Oliveira, Sérgio Azevedo, Hugo Ribeiro ou Amílcar Vasques-Dias.
A convite da ESML, gravou, em 2013, obras de Debussy e Freitas Branco para a Antena2. Forma um duo regular com o violoncelista Nuno Cardoso, tendo participado por quatro ocasiões no Ciclo de Instrumentos Históricos do Museu da Música, no apoio à recuperação de vários instrumentos históricos.
Apresenta-se igualmente com regularidade no estrangeiro, destacando-se os concertos que apresentou em Paris, Copenhaga, Malmö e numa digressão pelo Brasil em 2014, a solo e com o pianista Philippe Marques. Neste âmbito, gravou um programa para a TV Brasil. Em 2016, gravou novamente para a Antena2, também na companhia de Philippe Marques, um programa inteiramente dedicado a compositores portugueses e brasileiros.
Fundou o MPMP, projecto em que vem desempenhando várias funções artísticas, de programação e de produção. É director executivo da Glosas. Frequentou o curso de Engenharia Física Tecnológica do IST e conclui, actualmente, o mestrado em Empreendedorismo e Estudos da Cultura do ISCTE.
3º Ciclo Músicas do Acervo | Compositores Portugueses e seus Contemporâneos
Comissário: Adriano Nogueira

É objectivo da terceira temporada do ciclo de piano “Músicas do Acervo: Compositores Portugueses e seus Contemporâneos” a divulgação e valorização do repertório da música erudita portuguesa, bem como a sua contextualização nas estéticas musicais ocidentais dos séculos XIX e XX, tendo por base a colecção de partituras do Museu Nacional da Música.

O Museu conta com um acervo de partituras de compositores portugueses ainda não inteiramente divulgadas, apesar da riqueza musical nelas contidas. Referimo-nos, em concreto, aos períodos correspondentes aos séculos XIX e XX, deles fazendo parte obras de compositores como Alfredo Keil, Júlio Cardona, José Vianna da Motta, Luís de Freitas Branco, Jorge Cronner de Vasconcelos ou Fernando Lopes Graça.

Em cada concerto, com a duração de 50 minutos, procurar-se-ão apresentar as mencionadas composições e enquadrá-las no contexto musical do qual fazem parte, a partir da execução de obras de compositores estrangeiros que marcaram aquela mesma época. Deste modo, o público irá ser estimulado para confrontar as obras portuguesas com as composições estrangeiras, algumas delas, em geral, já do seu conhecimento.

O ciclo realizar-se-á entre os meses de Março e Julho de 2019, com a apresentação de 8 pianistas nacionais e internacionais.



O Museu conta com um acervo de partituras de compositores portugueses ainda não inteiramente divulgadas, apesar da riqueza musical nelas contidas. Referimo-nos, em concreto, aos períodos correspondentes aos séculos XIX e XX, deles fazendo parte obras de compositores como Alfredo Keil, Júlio Cardona, José Vianna da Motta, Luís de Freitas Branco, Jorge Cronner de Vasconcelos ou Fernando Lopes Graça.


Em cada concerto, com a duração de 50 minutos, procurar-se-ão apresentar as mencionadas composições e enquadrá-las no contexto musical do qual fazem parte, a partir da execução de obras de compositores estrangeiros que marcaram aquela mesma época. Deste modo, o público irá ser estimulado para confrontar as obras portuguesas com as composições estrangeiras, algumas delas, em geral, já do seu conhecimento.

Organização:
MNM/DGPC
Local:
Museu Nacional da Música, Lisboa

Próximos Eventos