Saltar para o conteúdo principal da página

Atividades diversas Sabia que?

Panteão Nacional

Sabia que a história atribulada da construção da Igreja de Santa Engrácia e a aparente incapacidade de a terminar teriam origem numa trágica história de amor e numa maldição?

Da primitiva Igreja de Santa Engrácia construída no final do séc. XVI chega-nos a história, ocorrida em 1630, do vandalismo do sacrário de que foi acusado o jovem cristão-novo Simão Solis. Condenado à morte, Simão Solis sempre se afirmou inocente.

Reza a lenda que o jovem estaria apaixonado por uma jovem fidalga mandada, pela família, para o convento de Santa Clara situado junto à igreja. Na noite do infeliz acontecimento rondava o lugar na esperança de a ver e convencê-la a fugirem juntos.

Detido e acusado do crime, Simão nunca confessou o motivo que o levara ao lugar, apenas afirmando a sua inocência. A caminho da execução terá lançado a maldição “Tão certo eu estar inocente, como as obras desta igreja não terão fim."