Skip Navigation

Pelourinho de Alpedrinha - detalhe

Designação

Designação

Pelourinho de Alpedrinha

Outras Designações / Pesquisas

Pelourinho de Alpedrinha (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Pelourinho

Inventário Temático

-

Localization

Divisão Administrativa

Castelo Branco / Fundão / Alpedrinha

Endereço / Local

Largo do Pelourinho
Alpedrinha

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IIP - Imóvel de Interesse Público

Cronologia

Decreto n.º 23 122, DG, I Série, n.º 231, de 11-10-1933 (ver Decreto) Ver inventário elaborado pela ANBA

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

World Heritage

-

General Description

Nota Histórico-Artistica

A localidade de Alpedrinha tem provável origem romana, resultando o seu nome actual da adulteração da palavra latina Petratinia, durante a ocupação Árabe da região. Chegou a ser elevada a sede de concelho, por alvará do futuro rei D. Pedro II, então príncipe regente, em 1675. A circunscrição foi extinta em 1855, passando a integrar o concelho do Fundão. O pelourinho da freguesia terá sido construído ainda no século XVII, tal como a antiga Casa da Câmara, junto à qual se levanta. Foi poupado aos sucessivos saques das Invasões Francesas, no início do século XIX.
O pelourinho ergue-se sobre um soco de três degraus quadrangulares, constando de base, coluna, capitel e remate. A base é quadrangular, com as arestas chanfradas, e sustenta uma coluna de fuste oitavado, de faces lisas. O capitel, jónico, assenta sobre um anel saliente oitavado. Entre o capitel e o remate estão os ferros de sujeição, recurvos, em serpe. O remate é constituído por um corpo prismático, com faces ornadas com relevos heráldicos (escudo de Portugal e esfera armilar), e simbólica concelhia, encimado por uma pirâmide esguia, de topo truncado, e coroada por bola. Sobre esta figura ainda um pequeno cata-vento em ferro forjado. A data de erecção do monumento está registada no capitel, onde se pode ler "AN 1675". Existe uma pequena réplica em madeira deste monumento na Fundação Mário Soares, da autoria de Júlio Castro, oferecida em 1988. SML

Images

Bibliografia

Título

Pelourinhos Portugueses, Tentâmen de Inventário Geral

Local

-

Data

-

Autor(es)

-