Skip Navigation

Igreja de Dornes - detalhe

Designação

Designação

Igreja de Dornes

Outras Designações / Pesquisas

Igreja Paroquial de Dornes / Igreja de Nossa Senhora do Pranto / Santuário de Nossa Senhora do Pranto(Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Religiosa / Igreja

Inventário Temático

-

Localization

Divisão Administrativa

Santarém / Ferreira do Zêzere / Nossa Senhora do Pranto

Endereço / Local

EC. 521 a partir da E.N. 238
Dornes

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IIP - Imóvel de Interesse Público

Cronologia

Decreto n.º 32 973, DG, I Série n.º 175, de 18-08-1943 (ver Decreto)

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

World Heritage

-

General Description

Nota Histórico-Artistica

De acordo com a tradição, a igreja de Dornes foi fundada pela rainha Santa Isabel, em 1285. Pouco ou nada se conhece, no entanto, sobre o primitivo templo, reedificado em 1453 a expensas de D. Gonçalo de Sousa, conforme se pode ler na inscrição presente na fachada principal, com as armas desta família. No interior, observam-se campanhas decorativas dos séculos seguintes.
A fachada, em empena, apresenta portal de verga recta encimado por entablamento com um friso decorado, e cornija suportada por volutas. Sobre esta, duas imagens de pedra, certamente ainda provenientes da primitiva construção.
O interior contrasta fortemente com a depuração do exterior, pois é totalmente revestido por azulejos de padrão polícromo, do século XVII. O púlpito, de cantaria, com uma cruz da Ordem de Cristo, exibe a data de 1544 e, na nave, existem ainda dois altares de cantaria, um dos quais com os quatro Evangelistas. No tecto figura o escudo de Santa Isabel, em memória da versão tradicional sobre a primitiva edificação da igreja.
A capela-mor, com tecto de caixotões pintados, já no século XIX, é também revestida por azulejos enxaquetados, do início do século XVII apresentando retábulo de talha dourada setecentista. Uma referência final para o órgão de tubos, que se pensa ser um trabalho da centúria de Seiscentos.
(RC)

Bibliografia

Título

Inventário Artístico de Portugal, Distrito de Santarém

Local

Lisboa

Data

1949

Autor(es)

SEQUEIRA, Gustavo de Matos