Skip Navigation

Portal da Gafaria - detalhe

Designação

Designação

Portal da Gafaria

Outras Designações / Pesquisas

Gafaria em Setúbal (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Religiosa / Portal

Inventário Temático

-

Localization

Divisão Administrativa

Setúbal / Setúbal / Setúbal (São Julião, Nossa Senhora da Anunciada e Santa Maria da Graça)

Endereço / Local

Avenida Manuel Maria Portela
Setúbal

Número de Polícia: 17

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como MN - Monumento Nacional

Cronologia

Decreto de 16-06-1910, DG, n.º 136, de 23-06-1910 (ver Decreto)

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

World Heritage

-

General Description

Nota Histórico-Artistica

A Gafaria de Setúbal, também designada por Gafaria da Horta do Rio, data possivelmente do século XV, sendo certo que é de fundação anterior à construção do portal tardo-gótico classificado. Como era habitual nas gafarias e hospícios, o edifício encontrava-se fora da muralha medieval de Setúbal, integrado, como a sua designação indica, numa zona de hortas e baldios. Em finais do século XV ou inícios do século XVI, a gafaria terá sido beneficiada com obras, custeadas com toda a probabilidade pela família nobre cujo escudo de armas o portal ostenta em posição central, mas que é hoje praticamente ilegível. Recorde-se que na mesma altura várias gafarias, de Norte a Sul, eram melhoradas ou construídas de raiz, no rescaldo de um calamitoso surto de peste que assolou o país em 1479-80.
O portal, único vestígio do edifício medieval ou dos seus acrescentos quinhentistas, possui verga decorada com arcos recortados à mesma altura, dois de cada lado, enquadrando um recorte central em arco inflectido, ao modo de cortina, sob o qual está o brasão, numa tipologia marcadamente manuelina. Na parte superior do lintel lê-se ainda, inciso na cantaria, o versículo do Eclesiastes VANITAS VANITATUM ET OMNIA VANITAS, ou Vaidade das vaidades, tudo é vaidade, alusão à transitoriedade da vida humana, numa reflexão bem adequada ao edifício da gafaria. Integrado em imóveis de construção mais moderna e desprovidos de interesse arquitectónico, este portal dá hoje acesso a um pátio particular, o Pátio da Horta sem Portas.
SML

Images

Bibliografia

Título

Sobre o Manuelino de Setúbal, separata da revista Setúbal na História

Local

-

Data

1990

Autor(es)

PEREIRA, Fernando António Baptista

Título

Notícia dos monumentos nacionaes e edificios e logares notaveis do concelho de Setubal

Local

-

Data

1882

Autor(es)

PORTELA, Manuel Maria

Título

Velharias de Setúbal: cruzeiros e gafaria de Setúbal

Local

-

Data

1946

Autor(es)

NASCIMENTO, Luís Gonzaga do

Título

Património Arquitectónico e Arqueológico Classificado, IPPAR, vol. III

Local

Lisboa

Data

1993

Autor(es)

LOPES, Flávio