Skip Navigation

Pesquisa Georeferenciada

Atlas do património classificado e em vias de classificação

A Direção-Geral do Património Cultural (DGPC) mantém em permanente atualização o ATLAS do Património Classificado e em vias de Classificação, contando com a colaboração das Câmaras Municipais e das Direções Regionais de Cultura. Esta atualização constante decorre da evolução jurídica dos bens imóveis – classificação ou vias de classificação.

Importância da georreferenciação para o cidadão

Através da pesquisa georreferenciada, é possível conhecer a localização exata dos monumentos, conjuntos e sítios, classificados e em vias de classificação, respetivas zonas de proteção (gerais e especiais) e áreas com restrições, assim como aceder à informação registada no Sistema de Informação Ulysses.

A  informação disponibilizada inclui, para além de monumentos, conjuntos ou sítios classificados e em vias de classificação (3436), as zonas gerais de proteção (1975), as zonas especiais de proteção (586) e as áreas de restrição (401). Atualmente está georreferenciado 73% do património classificado e em vias de classificação de Portugal continental.

 

Concelhos atualizados, por distrito:

Aveiro: Albergaria-a-Velha, Arouca, Aveiro, Castelo de Paiva, Espinho, Estarreja, Mealhada, Oliveira de Azeméis, Ovar, Murtosa, Ílhavo, São João da Madeira , Sever do Vouga, Vagos e Vale de Cambra

Beja: Almodôvar, Alvito, Barrancos, Beja, Castro Verde, Cuba, Ferreira do Alentejo, Mértola, Odemira e Serpa

Braga: Barcelos, Braga, Celorico de Basto, Guimarães e Terras de Bouro

Bragança: Bragança, Macedo de Cavaleiros, Mirandela, Torre de Moncorvo, Vimioso e Vinhais

Castelo Branco: Castelo Branco, Covilhã, Fundão e Oleiros

Coimbra: Arganil, Cantanhede, Condeixa-a-Nova, Góis, Lousã, Oliveira do Hospital, Penacova e Penela

Évora: Alandroal, Borba, Estremoz, Évora, Mora, Vendas Novas e Vila Viçosa

Faro: Albufeira, Alcoutim, Aljezur, Castro Marim, Faro, Lagoa, Lagos, Loulé, Monchique, Olhão, Portimão, São Brás de Alportel, Silves, Tavira, Vila do Bispo e Vila Real de Santo António

Guarda: Aguiar da Beira e Celorico da Beira

Leiria: Alcobaça, Ansião, Batalha, Bombarral, Caldas da Rainha, Figueiró dos Vinhos, Marinha Grande, Nazaré, Óbidos, Pedrógão Grande, Peniche e Pombal

Lisboa: Alenquer, Amadora, Arruda dos Vinhos, Azambuja, Cascais, Lisboa, Loures, Mafra, Odivelas, Oeiras, Sintra, Sobral de Monte Agraço, Torres Vedras e Vila Franca de Xira

Portalegre: Avis, Campo Maior, Elvas, Monforte, Nisa, Ponte de Sor, Portalegre e Sousel

Porto: Amarante, Baião, Maia, Matosinhos, Penafiel, Porto, Póvoa de Varzim, Trofa, Valongo e Vila Nova de Gaia

Santarém: Abrantes, Almeirim, Benavente, Cartaxo, Chamusca, Constância, Coruche, Ferreira do Zêzere, Golegã, Mação, Ourém, Salvaterra de Magos, Santarém, Sardoal, Tomar, Torres Novas e Vila Nova da Barquinha

Setúbal: Alcácer do Sal, Alcochete, Almada, Barreiro, Grândola, Moita, Montijo, Palmela, Sesimbra e Seixal

Viana do Castelo: Caminha, Monção, Paredes de Coura, Ponte da Barca, Valença e Vila Nova de Cerveira

Vila Real: Montalegre, Boticas, Mesão Frio, Vila Pouca de Aguiar e Vila Real

Viseu: Lamego, Santa Comba Dão, São Pedro do Sul e Tondela

  


Concelhos parcialmente atualizados (em 2019):


Aveiro
: Águeda

Beja: Aljustrel, Alter do Chão  e Vidigueira

Braga: Amares e Póvoa de Lanhoso

Coimbra: Coimbra, Figueira da Foz, Montemor-o-Velho e Tábua

Guarda: Guarda, Pinhel e Seia

Évora: Montemor-o-Novo, Mourão e Redondo

Leiria: Alvaiázere e Porto de Mós

Lisboa: Cadaval e Lourinhã

Portalegre: Fronteira e Marvão

Santarém: Alcanena, Alpiarça e Rio Maior

Setúbal: Setúbal

Viana do Castelo: Ponte de Lima e Viana do Castelo

Vila Real: Chaves

Viseu: Penedono

 

  

Os restantes concelhos encontram-se em fase de preparação da informação para a sua futura disponibilização.

Qualquer observação, correção ou contributo sobre os conteúdos poderá ser remetida para o endereço eletrónico dgpc@dgpc.pt 


Diretiva Inspire 2007/2/EC

No âmbito da Diretiva Inspire 2007/2/EC, do Parlamento e do Conselho Europeus, que obriga as instituições públicas dos Estados Membros  a disponibilizarem informação espacial da sua responsabilidade segundo princípios e regras comuns; a DGPC, responsável pelo desenvolvimento, gestão e manutenção dos sistemas de informação relativos às bases de dados georreferenciadas do património cultural, harmonizou os dados geográficos do ATLAS do património classificado e em vias de classificação, segundo o Anexo I do Tema 9 – Sítios Protegidos.

À semelhança do Atlas da DGPC, a informação encontra-se estruturada em 4 camadas: Património classificado e em vias de classificação; Zonas Gerais de Proteção; Zonas Especiais de Proteção e Restrições.

Os dados geográficos poderão ser visualizados em programas gis opensource, adicionando o link: https://geo.patrimoniocultural.pt/arcgis/services/INSPIRE/Patrimonio_Classif_EVC/MapServer/WmsServer?

Para mais informação sobre a informação geográfica do Património cultural classificado e em vias de classificação, consulte a respetiva página no SNIG (Sistema Nacional de Informação Geográfica).