Skip Navigation

News 06/15/2020

Tolentino Mendonça vencedor do Prémio Europeu Helena Vaz da Silva

Dom José Tolentino Mendonça, uma das vozes mais originais da literatura contemporânea portuguesa e Bibliotecário e Arquivista da Biblioteca e Arquivo Apostólicos da Santa Sé, é o vencedor do Prémio Europeu Helena Vaz da Silva para a Divulgação do Património Cultural deste ano. Este reconhecimento presta homenagem à contribuição excecional de Tolentino Mendonça para a divulgação da cultura e dos valores europeus.

O Prémio Europeu Helena Vaz da Silva para a Divulgação do Património Cultural foi instituído em 2013 pelo Centro Nacional de Cultura (CNC) em cooperação com a Europa Nostra, a principal organização europeia de defesa do património representada em Portugal pelo CNC, e com o Clube Português de Imprensa.

A cerimónia de atribuição do prémio terá lugar no Outono, em data a anunciar, na Fundação Calouste Gulbenkian.

Reagindo à notícia, o Cardeal Tolentino Mendonça afirmou:

«Não podemos esquecer que a cidadania europeia é também uma cidadania cultural. Esta liga-se ao tesouro da memória, à pluralidade das tradições e raízes que, através das gerações, alicerçaram uma identidade e um quadro de valores onde nos reconhecemos. E desafia-nos a não fechar o património cultural no passado. O património cultural é um motor indiscutível do presente e só com ele podemos pensar que há futuro. Por essa razão, sinto-me muito honrado por esta atribuição, que ainda mais me responsabiliza. Certamente esta distinção será vivida com alegria pela Biblioteca e o Arquivo Apostólicos do Vaticano, onde trabalho, e que constituem um extraordinário exemplo do património cultural que a Europa construiu e constrói.

O facto de este prémio ter o nome de uma grande portuguesa e europeia, Helena Vaz da Silva, constitui para mim como que um suplemento de alegria e de responsabilidade, pois o seu legado representa uma preciosa inspiração para todos nós.»

O júri do Prémio Europeu Helena Vaz da Silva declarou:

«Ficámos impressionados com a capacidade que Tolentino Mendonça demonstra ao divulgar a Beleza e a Poesia como parte do património cultural intangível da Europa e do mundo. Queremos homenagear a sua arte de comunicar não apenas através da sua notável poesia, mas também dos seus artigos de opinião publicados na imprensa portuguesa e italiana. Também destacamos a sua forte convicção de que a Igreja não é apenas uma guardiã de seu longo passado, mas que deve estabelecer um diálogo aberto e construir pontes com o mundo da cultura, da arte e do pensamento contemporâneos. Hoje, quando a Europa e o mundo se confrontam com uma crise sem precedentes, precisamos de ouvir as vozes desafiadoras dos principais intelectuais e artistas europeus, como Tolentino Mendonça. Eles devem orientar e inspirar os nossos esforços coletivos para construir uma sociedade mais justa e mais inclusiva, para a Europa e para todo o planeta.».

Júri do Prémio, presidido por Maria Calado, Presidente do Centro Nacional de Cultura, é composto por especialistas independentes nos campos da Cultura, do Património e da Comunicação de vários países europeus: Francisco Pinto Balsemão, Presidente do Conselho de Administração do Grupo Impresa (Portugal),  Guilherme d’Oliveira Martins, Fundação Calouste Gulbenkian (Portugal), Irina Subotić, Vice-Presidente da Europa Nostra (Servia), João David Nunes, Membro da Direção do Clube Português de Imprensa (Portugal), Marianne Roald Ytterdal, Membro do Júri dos Prémios Europa Nostra, categoria Serviço Dedicado (Noruega) e Piet Jaspaert, Vice-Presidente da Europa Nostra (Bélgica).

(Fonte site CNC)