Skip Navigation

Iniciativas 11/17/2015

Investigação de David Gonçalves, Laboratório de Arqueociências LARC/DGPC em foco no programa "Science in Action" da BBC

A investigação de David Gonçalves, colaborador pós-doutorado do Laboratório de Arqueociências (LARC) da DGPC, esteve recentemente em foco no programa Science in Action da BBC World Service. 

No âmbito do HOT Project, um projecto de investigação na área da Antropologia Biológica focado na Colecção de Esqueletos Identificados do Século XXI (Universidade de Coimbra) e que conta com a colaboração activa do LARC/CIBIO/InBio, David Gonçalves e os seus colaboradores da Unidade de I&D Química-Física Molecular da Universidade de Coimbra – Maria Paula Marques e Luís Batista de Carvalho – submeteram amostras de osso humano, queimado e não-queimado, ao feixe de neutrões do ISIS, localizado no Rutherford Appleton Laboratory (Reino Unido) com a finalidade de quantificar o efeito do fogo nos ossos. A razão por trás desta experiência prende-se essencialmente com as alterações que os ossos sujeitos a elevadas temperaturas apresentam ao nível das suas dimensões e que podem cifrar-se em 30%. Estas alterações representam para os antropólogos biológicos um problema difícil de ultrapassar visto que uma importante parte das suas metodologias de análise são métricas, ou seja, baseiam-se nas dimensões dos ossos e dentes. A partir delas, é possível obter informações sobre a idade à morte, sexo, ancestralidade e estatura de um indivíduo que podem ser valiosas para a compreensão de um determinado contexto arqueológico ou para ajudar a identificar vítimas em casos forenses. O projecto de investigação coordenado por David Gonçalves e que foi recentemente selecionado para financiamento pela Fundação para a Ciência e Tecnologia (PTDC/IVC-ANT/1201/2014) pretende contribuir para a resolução deste problema através do desenvolvimento de um método que permita “desqueimar” o osso, ou seja, calcular as dimensões do osso antes de ter sido sujeito à queima. Se bem-sucedida, tal ferramenta voltaria a permitir a aplicação de métodos métricos a esses ossos e assim estabelecer o perfil biológico de um indivíduo a partir dos seus restos esqueléticos que, tanto na esfera arqueológica como forense, são muitas vezes os únicos elementos sobreviventes à decomposição do corpo humano.