Skip Navigation

News 03/22/2018

O filme “Uma história com 29000 anos" foi distinguido no festival Firenze Archeofilme

A curta-metragem “Uma historia com 29000 anos" (sepultamento infantil de Lapedo, 29 mil anos atrás: uma reconstrução imaginária), de Diogo Vilhena, com argumento e consultadoria científica da responsabilidade de Ana Cristina Araújo e de Ana Maria Costa, do Laboratório de Arqueociências da DGPC, obteve uma distinção do Júri no festival Firenze Archeofilme (Florença, Itália). 

Esta curta-metragem, realizada para o Museu de Leiria e promovida por este município, foi produzido pela ArqueoHoje, cabendo a realização a Diogo Vilhena.

“Uma historia com 29000 anos" (sepultamento infantil de Lapedo, 29 mil anos atrás: uma reconstrução imaginária) de Diogo Vilhena, Portugal 2015.
É uma sugestão efetiva através de imagens rápidas que em apenas cinco minutos narram e envolvem contextualmente o espectador no enterro de uma criança paleolítica pelos membros da família. Os meios estilísticos empregados, a qualidade da fotografia, o uso da cor por subtração criam um forte contexto emocional no qual o observador se torna ator e participa do trágico evento. Exemplo valioso nesta revisão de harmonia e concordância entre meio e conteúdo, o filme também surge por sua originalidade em termos de curta duração, o que, graças ao ritmo perfeitamente equilibrado da narrativa, torna-se um ponto forte do filme.

(FONTE: Firenze Archeofilme, texto traduzido)