Skip Navigation

News 04/02/2019

Estudo, Conservação e Restauro do Andor de S. João Baptista, do Museu Rainha D. Leonor, em Beja

O projeto de estudo e intervenção de conservação e restauro do Andor de S. João Baptista, proveniente do Museu Rainha D. Leonor em Beja, antigo Real Convento da Nossa Senhora da Conceição da Ordem de S. Francisco, foi desenvolvido no Laboratório José de Figueiredo, da DGPC.

Este projeto enquadra-se num programa de valorização do Museu, sob a coordenação da Direção Regional de Cultura do Alentejo, no âmbito de uma parceria estabelecida com a Comunidade Intermunicipal do Baixo Alentejo, o Laboratório HERCULES-UE, o CEAACP-UC, e beneficia do apoio mecenático da Fundação Millennium BCP.

Esta intervenção de conservação e restauro teve como objetivo contribuir para a sua preservação, assegurando a estabilidade física e química de todos os materiais, e restabelecendo o impacto visual, o brilho e a cor.

O Andor de S. João Baptista é um magnífico exemplar da ourivesaria religiosa do séc. XVIII. Faz parte do acervo deste convento um outro andor em prata, também setecentista mas dedicado a São João Evangelista, estes podem ser considerados em Portugal duas peças excecionais desta tipologia.

Dada a complexidade da peça foi constituída uma equipa pluridisciplinar, que abarcasse todos os saberes referentes aos materiais existentes - a prata e prata dourada, a madeira e escultura policromada, o têxtil, os vidros e pedras preciosas.

O andor é formado por três estruturas de madeira revestida por placas de prata repuxada e cinzelada e frisos de prata com douradura, dada através da aplicação de um verniz amarelo/ dourado. Sobre esta composição foi instalado o quarto nível, uma estrutura de prata com a representação do rio Jordão e com o conjunto escultórico em madeira policromada encimado por uma nuvem de panejamento, anjos e a pomba do Espírito Santo, numa encenação do Baptismo de Cristo.

Estes elementos apresentavam alteração cromática e perda de luminosidade devido à acumulação de poeiras, da oxidação da superfície de prata e desgaste do verniz.

O diagnóstico do estado de conservação destes materiais condicionou a metodologia de intervenção do Andor de S. João Baptista que foi iniciada pela sua desmontagem.

A organização minuciosa, levantamento gráfico do sistema de desmontagem foi uma etapa muito importante que permitiu no final da intervenção a recolocação original dos 174 elementos de prata, processo que possibilitou também, um conhecimento mais profundo das técnicas construtivas das esculturas e estruturas de madeira, assim como da produção e da ornamentação dos elementos de prata. No âmbito das técnicas de douramento é de evidenciar o uso de uma técnica alternativa para dar a aparência dourada.