Skip Navigation

Popular Art Museum

Inaugurado em 1948, o Museu de Arte Popular nasceu da reformulação do antigo pavilhão da “Secção da Vida Popular” criado para a Exposição do Mundo Português de 1940, com projeto da autoria dos arquitetos António Reis Camelo e João Simões. Foi concebido de acordo com o programa formulado, em 1946, por António Ferro, então diretor do Secretariado de Propaganda Nacional (SPN) sob a denominação de “Museu do Povo” e organizado de acordo com a divisão administrativa do território nacional da Constituição Portuguesa de 1933. (A exposição está encerrada ao público, mantendo-se a loja do museu aberta ao público).

Para a data da sua inauguração, o anterior edifício é adaptado a museu com projeto do arquiteto Jorge Segurado, em colaboração com o programa gizado pelo etnógrafo Francisco Martins Lage e pelo artista Tomás de Mello (Tom), conjugando elementos decorativos de gosto modernista com outros extraídos de uma estética mais tradicional. As diversas salas do MAP recriam as várias regiões do País, por onde se agrupam as diferentes coleções de arte popular que constituem a totalidade do seu acervo. No exterior, o edifício é pontuado por composições em baixo-relevo que recriam cenas de temática rural. No processo de criação do Museu de Arte Popular, o projeto contou, igualmente, com a colaboração de uma extensa equipa de “decoradores-pintores” constituída por Carlos Botelho, Eduardo Anahory, Estrela Faria, Manuel Lapa, Paulo Ferreira e Tomás de Mello (Tom). Neste contexto, o Museu de Arte Popular apresenta um significativo conjunto de composições murais, caracterizando as diversas regiões do País, que são por excelência o grande veículo de contextualização e interpretação da extensa exposição permanente. Autênticos ensaios de pintura modernista, os murais retratam o povo tanto na faina do quotidiano como nas festas e romarias de raiz popular. À relevância patrimonial e histórica do conjunto arquitetónico, acresce a importância do acervo recolhido desde 1935, durante as Exposições Universais e durante as diversas iniciativas promovidas pelo Estado Novo na década de 1930.

As cinco salas da exposição permanente que compõem o museu estão encerradas ao público (sala Entre Douro e Minho, Trás-os-Montes, Algarve, Beiras, Estremadura e Alentejo), tendo a coleção do MAP sido transferida para o Museu Nacional de Etnologia onde está expostas em reservas visitáveis.

Deste modo, só é possível ao visitante a observação das pinturas murais que se encontram na zona da receção, onde também está instalada a loja do museu. 

A loja apresenta diversos tipos de produtos á venda tais como objetos em cerâmicas, figurado, trabalhos em madeira, objetos em cortiça, têxteis e publicações.   

   

Conteúdos editados pela DDCI.

Contacts and
Localization

Governing body:
DGPC
Director:
Paulo Ferreira da Costa (Director)
Address:
Avenida de Brasília. 1400-038 Lisboa
GPS:
Lat: 38.69364286369719 Long: -9.208295394442757
Phone(s):
+351 213 011 282
Fax(s):
+351 213 011 282
E-mail:
geral@map.dgpc.pt
Site:
http://museuartepopular.wordpress.com/

Urban Bus: 714, 727, 28, 751, 729. Autocarros da Linha de Sintra 113, 149
Electric: 15
Boat: Transportes Fluviais Cais de Belém

Admission

Standard Ticket: - 2,50 €

DGPC Admission Fees click here

DGPC online tickets - buy here

Conditions of entry to DGPC Museums and Monuments - click here

Exemptions:

The entrance is free in National Museums and Monuments at sundays and holidays until 2 p.m. for residents in Portugal.

Children aged 12 and under*
Unemployed EU citizens*
Visitors with reduced mobility (60% disability with documents to prove it) accompanied by one attendant.
ICOM, ICOMOS and APOM members
Researchers /conservators/restorers, museum and/or heritage professionals during the course of their work*
Cultural associations (exclusively for groups of friends of museums, monuments, palaces, castles and archaeological sites)*
Volunteers working for the DGPC with one accompanying person*
European Heritage Days (Sunday)
International Day of Monuments and Sites - 18 April (exclusively for DGPC Monuments)
International Museum Day - 18 May (exclusively for DGPC museums and palaces)
Late-night Museums and Thursday Nights (access restricted to activities organised by the DGPC)
Tourism professionals upon presentation of a proof of registration with the RNAAT
Journalists during the course of their work* with prior notice
DGPC employees* with 3 accompanying persons
Teachers and students of any level of education, including universities for senior citizens, during study visits duly proven, and upon prior reservation confirmed by the relevant Dependent Service*
Groups of accredited Portuguese welfare institutions or social work departments of municipalities or other public interest institutions. Prior approval is required from the DGPC executive board.

* Proof of entitlement required.

 

Last change: 02 October 2017

Rede Portuguesa de Museus

A Rede Portuguesa de Museus (RPM) é um sistema organizado de museus, baseado na adesão voluntária, configurado de forma progressiva e que visa a descentralização, a mediação, a qualificação e a cooperação entre museus.

A Rede Portuguesa de Museus é composta pelos 146 museus que atualmente a integram. A riqueza do seu universo reside na diversidade de tutelas, de coleções, de espaços e instalações, de atividades educativas e culturais, de modelos de relação com as comunidades e de sistemas de gestão.

+ DGPC Museums and Monumentos